segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Petição Pública contra as Touradas


Quais destas imagens daria aos seus filhos como exemplo de beleza, tranquilidade, respeito, amor, alegria, sabedoria e tudo o mais que seja positivo, construtivo, vivificante?



O surgimento em Portugal desta petição pública:

"Pela abolição das touradas e de todos os espectáculos com touros"
é um excelente motivo para colocar aqui esta Declaração Universal dos Direitos dos Animais da UNESCO, de 1978. No entanto, ainda me pergunto:

- Quantas destas pessoas que estão querendo acabar com as touradas ainda não são vegetarianas e comem carne, frango, etc?

- Qual a lógica de haver uma Declaração Universal dos Direitos dos Animais, se nem os direitos dos seres humanos se consegue fazer prevalecer?

- O que fazer em relação ao extremamente doloroso massacre diário de muitos milhões de animais em todo o planeta só para alimentar aqueles que comem de suas carnes? A energia de dor, medo e raiva lançados por estes animais, todos os dias, para a atmosfera do planeta, está tendo consequências muito para lá do nosso entendimento. Mas, como despertar o ser humano para esta realidade?

Apesar de tudo, se olharmos para trás... um, ou dois séculos atrás, estávamos muito mais atrasados. Pelo menos hoje o bem está a conseguir erguer sua voz, ganhando terreno, conquistando vitórias, através de acções de defesa da mulher, da criança, dos animais, das florestas. Será que ainda vamos a tempo de salvar o planeta do suicído lento que tem vindo a processar?

Declaração Universal dos Direitos dos Animais


1 - Todos os animais têm o mesmo direito à vida.
2 - Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem.
3 - Nenhum animal deve ser maltratado.
4 - Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat.
5 - O animal que o homem escolher para companheiro não deve ser nunca ser abandonado.

6 - Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor.
7 - Todo ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida.
8 - A poluição e a destruição do meio ambiente são considerados crimescontra os animais.
9 - Os diretos dos animais devem ser defendidos por lei.
10 - O homem deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender os animais.



Preâmbulo:


Considerando que todo o animal possui direitos;


Considerando que o desconhecimento e o desprezo desses direitos têm levado e continuam a levar o homem a cometer crimes contra os animais e contra a natureza;


Considerando que o reconhecimento pela espécie humana do direito à existência das outras espécies animais constitui o fundamento da coexistência das outras espécies no mundo;


Considerando que os genocídios são perpetrados pelo homem e há o perigo de continuar a perpetrar outros;


Considerando que o respeito dos homens pelos animais está ligado ao respeito dos homens pelo seu semelhante;


Considerando que a educação deve ensinar desde a infância a observar, a compreender, a respeitar e a amar os animais,



Proclama-se o seguinte


Artigo 1º
Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os mesmos direitos à existência.

Artigo 2º
1.Todo o animal tem o direito a ser respeitado.
2.O homem, como espécie animal, não pode exterminar os outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais
3.Todo o animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à proteção do homem.

Artigo 3º
1.Nenhum animal será submetido nem a maus tratos nem a atos cruéis. 2.Se for necessário matar um animal, ele deve de ser morto instantaneamente, sem dor e de modo a não provocar-lhe angústia.

Artigo 4º

1.Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre, aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir.
2.toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins educativos, é contrária a este direito.

Artigo 5º
1.Todo o animal pertencente a uma espécie que viva tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de liberdade que são próprias da sua espécie.
2.Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este direito.

Artigo 6º

1.Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de vida conforme a sua longevidade natural.
2.O abandono de um animal é um ato cruel e degradante.

Artigo 7º

Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso.

Artigo 8º
1.A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação.
2.As técnicas de substituição devem de ser utilizadas e desenvolvidas.

Artigo 9º

Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado, transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor.

Artigo 10º

1.Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.
2.As exibições de animais e os espetáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.

Artigo 11º

Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto é um crime contra a vida.

Artigo 12º
1.Todo o ato que implique a morte de grande um número de animais selvagens é um genocídio, isto é, um crime contra a espécie.
2.A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.

Artigo 13º

1.O animal morto deve de ser tratado com respeito.
2.As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por fim demonstrar um atentado aos direitos do animal.

Artigo 14º

1.Os organismos de proteção e de salvaguarda dos animais devem estar representados a nível governamental.
2.Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os direitos do homem.

6 comentários:

Diogo disse...

Acontece, meu caro, que o homem é omnívoro, isto é, come carne. Tal como os carnívoros leão, lobo, crocodilo ou o tubarão. Se estes têm direito a matar a sua presa para se alimentar (senão morriam de fome), porque não a há-de ter igualmente o homem?

Agora que se poupe todo o sofrimento ao animal, concordo em absoluto. Há tecnologia para isso.

Abraço.

Daniel Simões disse...

Ora, aì está um assunto interessante, complexo e polémico para trazer a este blogue.
Apesar do homem se dizer omnívoro... será que o é mesmo? Procurarei apresentar aqui um estudo que mostra que ele não é.
Pano para mangas, caro Diogo...

Jorge Bird disse...

Quando ainda morrem crianças (e adultos) vítimas da guerra, da fome, maus tratos...
http://www.amnistia-internacional.pt. É justo que nos preocupemos com os direitos, mas de todas as criaturas de Deus! Biodiversidade? Humanidade? Insanidade? Há uma espécie dominante e está a mais?Solução? Redução da espécie? Por côr? Por religião/cultura/língua/opções sexuais...? Vá, digam lá!
Bird

Daniel Simões disse...

Caro Jorge Bird,

tal como referi no post:

"- Qual a lógica de haver uma Declaração Universal dos Direitos dos Animais, se nem os direitos dos seres humanos se consegue fazer prevalecer?"

Porém, não entendi uma coisa: o senhor está querendo que alguém aqui diga como deve ser peneirada a humanidade?!
Existem tantas soluções que posso referir que, essa, prefiro deixá-la nas mãos da Mãe Natureza, ou de Deus, como gostar mais.

Jorge Bird disse...

Caro Daniel, acontece que do seu "post" (e de acordo com a minha avaliação, claro), não é essa a mensagem que passa (ou tenta passar)! Coerência? Com uma no cravo e outra na ferradura? Afinal o que defende?!
Mãe Natureza ou Deus? Prefiro (gosto mais) a da Humanidade! A resposta está em nós!

Daniel Simões disse...

Ah, já o compreendi, Jorge.

Claro que eu defendo os animais, não fosse eu vegetariano.
E defendo que os movimentos contra a violência animal.
O que quis transmitir é: como queremos que as pessoas respeitem os animais se maior parte delas nem as próprias pessoas elas respeitam?

Compreendi seu ponto.

Abraço.