segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Governo Mundial na UNESCO

Se a criação de um governo mundial é somente uma teoria da conspiração, eu quero saber porque é que o Sr. Olabiyi Babalola Joseph Yaï, Presidente Executivo do Quadro da UNESCO, disse em 20 de Abril de 2009, num discurso efetuado em Paris, o seguinte:

"Parece-me que chegou agora o tempo de olhar para o futuro e considerar os problemas ligados à vida e/ou à natureza da nossa Organização e as tarefas que lhe são conferidas no contexto global do mundo de hoje e os desafios que têm sido colocados diante de nós. Esses problemas são muitos e claro variados. Eu sinto que dois deles exigem atenção imediata. São eles:

- Reflexão sobre um governo mundial

- O que eu proponho chamar, sem querer ser alarmista, a crise existencial da UNESCO"

Evidentemente que um governo mundial implica:
- Sistema bancário mundial centralizado (uma só moeda, um só sistema financeiro, o que é completamente inviável como já se viu através da implementação do euro na Europa)
- Controle tecnológico absoluto sobre pessoas, animais e mercadorias, através de implantes de microchips e utilização de tecnologia de RFID (Identificação por Rádio-Frequência), implicando a anulação da liberdade de ir e vir que cada pessoa, supostamente, deve ter.
- Sistema de impostos globais (o imposto sobre as emissões do carbono é só o começo)
- Uniformização das leis (independentemente da cultura) através de um Tribunal Mundial
- Uniformização cultural projectada no materialismo consumista das multinacionais capitalistas
- Eugenia: diminuição da população mundial dos atuais 6.500.000.000 (6 bilhões e quinhentos milhões, ou seis mil e quinhentos milhões) para 500.000.000 (quinhentos milhões) de seres humanos... como?
- ... até chegar a absurdos de uniformização linguística e religiosa
Ora, se tudo isto é surrealista e teórico, porque referiu o cavalheiro acima a "Reflexão sobre um Governo Mundial"?
E se ele referiu, no que se baseia tal governo mundial?
Há que examinar bem direitinho...

4 comentários:

Diogo disse...

Meu caro Daniel,

Os indivíduos que há mais de 100 anos preparam este plano, não podiam prever as evoluções tecnológicas entretanto acontecidas.

Talvez ainda pretendam levar a cabo o programa eugénico, mas em relação ao resto? A máquina vai fazer tudo.

Abraço

Daniel Simões disse...

Como assim? Acredita que no futuro será a máquina a ditadora?

The extended phenotype und extinct gene sequence disse...

tinha de ser com 7 centros de poder bem vincados e 6700 milhões
de imbecis e ainda há quem pense que é possível uniformizar....
enfim a cada um suas fés

Daniel Simões disse...

Realmente torna-se extremamente complicado hoje em dia realizar algo assim, mas sabemos como é: controlar a opinião pública não é tão difícil assim!
Pessoalmente, pelo exemplos que tenho visto na história recente, acredito que é mais fácil do que aparenta, uma vez que não se trata tanto de fazer com que o povo não saiba o que está acontecendo, mas, sim, inibir qualquer iniciativa do mesmo de se revoltar contra.