quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Xenofobia: Brasil x ... Brasil???

É triste, mas é verdade: após a eleição de Dilma Rousseff a presidente do Brasil, uma jovem estudante de direito já identificada despoletou uma vaga de reações xonofóbicas no twitter, revelando uma face obscura do Brasil. Evidentemente, a jovem não criou a xenofobia entre sul/sudeste e norte/nordeste, nem tão pouco as mensagens revelam a opinião do povo brasileiro.
Mas estas manifestações de índole nazi não se restringem ao Brasil. Na Alemanha 23 pessoas são detidas por darem vida a uma rádio de extrema direita de perfil nazi. Calcula-se que na Alemanha existam cerca de 9.000 pessoas passíveis de despoletar violência associada a ideologias de extrema direita.


Detidos 23 elementos de rádio de extrema direita



http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1702852&seccao=Europa

Quando eu era jovem, entre 12 e 18 anos de idade, vários jovens da escola secundária que frequentava em Almada, Portugal, foram laçados pela propaganda nazi que invadia a instituição. Alguns deles fazem parte de processos conhecidos da opinião pública portugesa.

A pergunta é: de onde vem tanta propaganda? Quem a financia?

Para além dos que se assumem de extrema direita, existem muitos mais que, silenciosamente, apoiam os movimentos nazis que existem em, praticamente, todos os países do mundo: basta ir ao Goolge, colocar "extrema direita homicídio", descobrir imensas notícias de todo o planeta e tomar especial atenção aos comentários que os leitores fazem às referidas notícias: quase todos manifestações de apoio.

Como já referi outras vezes, este tipo de comportamento revela uma enorme lacuna existente nas creches, colégios, escolas e universidades no que diz respeito à formação de caracter das crianças e jovens que as frequentam. Torna-se urgente repensar o passo-a-passo das instituições educativas, assim como seus reais objectivos: se por um lado não devemos apoiar a poluição cerebral com ideologias capitalistas, materialistas e consumistas da Nova Ordem Mundial, também não devemos consentir que as crianças e os jovens sejam assediados e cativados por ideologias que se dizem renovadoras, revolucionárias, etc... mas que não passam de forças opressoras de mortificação e sofrimento.


Onde pensam vocês que as crianças querem viver???

Concentremos as nossas vidas, em UNIÃO, naquilo que é belo, positivo, vivificante, manisfestando a união dos povos, a compreensão entre tradições, a aceitação das diferenças alheias, a partilha e a entre-ajuda.

Nenhum comentário: