quarta-feira, 16 de março de 2011

CENSUS 2011 - O Sistema de Controle Inconstitucional

Este trabalho apresentado pelo blogue Só Me Apetece Cobrir

CENSUS 2011 - A VERDADE
http://so-me-apetece-cobrir.blogspot.com/2011/03/census-pt-versus-census-uk.html

no qual podemos ler

"(...) o Decreto Lei 226/2009 de 13 de Setembro (...) torna o Census 2011 obrigatório, prevendo coimas para quem não o preencher, entrava em conflito direto com a Constituição da República e com o Decreto Lei 22/2008 de 13 de Maio [e com] o artigo 35º da Constituição da República (...)"

Artº 35 da Constituição da República, Parágrafo 3º

A informática não pode ser utilizada para tratamento de dados referentes a convicções filosóficas ou políticas, filiação partidária ou sindical, fé religiosa, vida privada e origem étnica, salvo mediante consentimento expresso do titular, autorização prevista por lei com garantias de não discriminação ou para processamento de dados estatísticos não individualmente identificáveis.

está em tudo relacionado com o trabalho por mim apresentado há poucos dias

A Centralização de Poder em Portugal e as Tecnologias de Controle incluídas no Plano Tecnológico do QREN (Quadro de Referencias Estratégico Nacional)
http://naturologiamiga.blogspot.com/2011/03/centralizacao-de-poder-em-portugal-e-as.html

Estes dois trabalhos vêm mostrar estratégias que vêm instaurando o sistema de controle tecnológico sobre a população, animais e mercadoria.

Atenção:

a máxima
"todos somos inocentes até prova em contrário"
está a ser substituida pela máxima
"todos somos potênciais criminosos/terroristas"
a qual, adicionada à campanha de medo divulgada por todo o planeta
está a fazer com que a população permita ser controlada
sem contestação
de forma quase absoluta.

Um comentário:

Anônimo disse...

Está equivocado. As poucas perguntas do inquérito do censos 2011 que constitucionalmente não podem ser feitas pelo estado são facultativas. Pode não responder a essas perguntas que não paga multa. As outras perguntas ou versam sobre temas não protegidos pelo artigo 35º, ou sobre assuntos de domínio público.