terça-feira, 3 de maio de 2011

Morte de Bin Laden Anunciada em Momento-Chave da História Mundial

O anúncio da morte do Bin Laden acontece num momento-chave da história mundial:

- com a enorme (e propositada) crise económica nos EUA e Europa, o anúncio da morte do suposto lider da Al-Qaeda vem inflamar os ânimos adormecidos, desanimados e até depressivos dos americanos, numa reacção alucinada e inconsciente por parte das mentes adormecidas.

- com este anúncio, veio-se como que justificar perante a opinião pública, as revoltas e as invasões passadas, presentes e futuras (ver vídeo) dos países muçulmanos.

http://www.youtube.com/watch?v=u2ZHFdobllY&feature=player_embedded

- encontrou-se mais uma justificação para erguer e reforçar ao máximo os níveis de segurança anti-terrorismo nos dois continentes, com receio de uma suposta retaliação. Lembremo-nos do livro 1984: o país bombardeava-se a si mesmo para que a população acreditasse que estava em permanente guerra, deixando-se, assim, conduzir em rebanho nas medidas de controle, segurança e opressão impostas pelo governo.

- os midia de todo o mundo ocidental estão a reforçar, mais uma vez, as implausíveis versões oficiais dos ataques ao WTC.


Entretanto, no site do CFR - Council on Foreigner Relations, podemos descobrir que existe uma visão política que diz que Obama e a política externa dos EUA será mais bem aceite em todo o mundo árabe.



Estão a querer fazer-nos acreditar que a invasão dos países árabes por parte dos EUA e da NATO e que todo o Programa e Política Externa para o Médio Oriente está a ser bem aceite pelas populações e religiões muçulmanas?

http://www.cfr.org/projects/middle-east/middle-east-program/pr1040

Pergunto-me:
estarão os EUA a querer justificar acções que acontecerão em tempo breve?

Em política nada acontece por acaso e o tempo determinado para anunciar a morte do Bin Laden também não foi escolhido ao acaso. A NATO está a invadir os países muçulmanos e no ocidente não sabemos, verdadeiramente, o que está por lá a acontecer. Aqui vemos que o preço do ouro (que atingiu este mês o record de US$1.575,00) e o petróleo a subirem em disparada - e atrás deles os preços dos bens de primeira necessidade.

Uma coisa sabemos:
a implementação da Nova Ordem Mundial, de controle tecnológico absoluto sobre cada pessoa, animal e mercadoria, passa pela conquista dos territórios árabes e inclusão de governos fantoches eleitos por eleições de fachada - isto após revoltas populares originadas por intrigas multinacionais criadas em clubes como o CFR - Council on Foreigner Relations.

Fiquemos atentos!

2 comentários:

Anônimo disse...

Um pequeno erro: No livro 1984, nenhum país se bombardeava a ele próprio. Todas as 3 nações se encontravam realmente em guerra permanente. Nenhuma das três nações estava interessada em terminar a guerra e por isso nenhuma tomava qualquer medida que pudesse conduzir a uma vitória e ao fim da guerra. Em nenhuma página do 1984 é dito que as nações se bombardeavam a elas próprias.

Daniel Simões disse...

Li o livro já há uns bons anos. Havia guardado na memória assim. Talvez o venha a reler. Grato pela correção.