quarta-feira, 29 de junho de 2011

Mais Um Grande Sinal de Censura em Portugal em Prol da Nova Ordem Mundial


Lendo-se o que está escrito no novo estatuto editorial do Expresso, chama a atenção o ponto 7:

7 - O Expresso sabe, também, que em casos muito excepcionais, há notícias que mereciam ser publicadas em lugar de destaque, mas que não devem ser referidas, não por auto-censura ou censura interna, mas porque a sua divulgação seria eventualmente nociva ao interesse nacional. O jornal reserva-se, como é óbvio, o direito de definir, caso a caso, a aplicação deste critério.

Manuel António Pina - Jornal de Notícias [28.06.2011]

«Chegou, pois, a altura de um jornal declarar, sem rebuço, que não publicará notícias "que mereciam ser publicadas em lugar de destaque" se entender que a sua divulgação pode "eventualmente" ser "nociva ao interesse nacional". O jornal ponderará, caso a caso, o "interesse nacional" das notícias, mas algo fica, desde já, claro: para esse jornal, a verdade factual deixou de ter por si só, mesmo dentro da lei, "interesse nacional"; e mais: o jornal passará a substituir-se ao poder político e a definir o que é, ou não, de "interesse nacional", podendo decidir não dar a conhecer verdades se as achar inconvenientes ou inoportunas. A bem da Nação.»

«Se ainda havia algum pudor, deixou de haver: um jornal assume às claras que se rege por critérios de oportunidade (políticos por excelência) e não exclusivamente por critérios jornalísticos.»

**********************************

Mário Soares acerca dos Media no Programa "Prós e Contras" [27.04.2009]:

Mário Soares: [...] «Pois bem, agora um jornal, não há! Uma pessoa não pode formar um jornal, precisa de milhares de contos para formar hoje um jornal e, então, para uma rádio ou uma televisão, muito mais. Quer dizer, toda a concentração da comunicação social foi feita e está na mão de meia dúzia de pessoas, não mais do que meia dúzia de pessoas

Fátima Campos Ferreira: «Grupos económicos, é

Mário Soares: «Grupos económicos, claro, grupos económicos. Bem, e isso é complicado, porque os jornalistas têm medo. Os jornalistas fazem o que lhes mandam, duma maneira geral. Não quer dizer que não haja muitas excepções e honrosas mas, a verdade é que fazem o que lhes mandam, porque sabem que se não fizerem aquilo que lhe mandam, por uma razão ou por outra, são despedidos, e não têm depois para onde ir.» [...]

Comentário

Ficamos deste modo a saber que os grupos económicos (dos quais, os mais poderosos são incomparavelmente os Bancos), não apenas trazem o cidadão deste país dependente pelo capital, mas, afronta derradeira, pelas voz dos seus jornais e televisões - que censuram, expressam meias-verdades, omitem, mentem e propagandeiam - ordenam ao português o que há-de pensar, o que há-de fazer, como se há-de governar e os montantes de dívidas e juros que vai ter de pagar!

O Jornal Expresso pertence ao império do Francisco Pinto Balsemão, membro efectivo do Grupo de Bilderberg. Obviamente, o jornal declarou publicamente de que lado está!

13 comentários:

Fada do bosque disse...

Daniel costumo seguir o seu blog... por favor veja este filme e se puder divulgar, agradeço. agora compreendo os piratas!! :(
http://vimeo.com/18915020

Anônimo disse...

A possibilidade de existência de censura no expresso parece-me evidente, e tal é lamentável e empobrece a democracia. Mas confesso que não vejo a relação entre a auto-censura do expresso e a tal nova ordem mundial. Qual é a relação? Que provas (ou indícios) é que tem que os dois assuntos estão relacionados?

E já agora os grupos económicos que Mário Soares fala não são os bancos. São os grandes grupos de media (grupos como a Impresa ou a Media Capital). Estes grupos são detentores de grande parte dos meios de comunicação social (jornais, rádios e televisão). Embora a banca seja accionista de alguns destes grupos, o seu peso é muito diminuto. Esta informação é pública, transparente e está disponível no site da ERC caso queira saber quem são os donos dos jornais que lê.

Daniel Simões disse...

Caro anónimo,

sem querer parecer descortez para com a sua pessoa, mas parece-me estar a haver um pouco de falta de estudo da sua parte.

As palavras chaves para um estudo mais aprofundado sobre quais os programas que estão a dar vida à nova ordem mundial tirânica, quais os grupos semi-secretos e para-militares que institucionalizam tal movimento e quais as pessoas envolvidas, estão explicita e abertamente declarados neste post e em vários posts do meu blogue (e em tantos outros blogues de estudos sérios e com links de confirmação oficial expostos e divulgados).

Se o cavalheiro não consegue, ou não quer, ver o que é óbvio e que pode facilmente ser comprovado por documentação oficial, então, nada posso fazer para mudar a sua visão política, económica e social do país e do planeta em que vive.

Mas o cavalheiro não é único a viver em tal prespectiva de alienação ao totalitarismo mundial: porém, cada vez é maior o número de despertos para o que está verdadeiramente a acontecer - e muitas vezes só despertam quando a "realidade" do sistema de controle absoluto lhes bate à porta!

Mas para não dizer que fiquei sem lhe responder completamente, eis algumas palavras-chave que poderá utilizar em suas buscas:

- grupo de bilderberg
- comissão trilateral
- council on foreigner relations

Sem grande insistência, poderá descobrir muita coisa que já apontei em meu blogue (com referidos links) nos sites destas instituições.

Olhe, dê uma olhada neste blogue:

www.ofimdademocracia.blogspot.com

e neste site

www.infowars.com

Neste blogue e neste site tem muito mais pontas soltas que poderá pegar para desenlear o novelo: afinal, existem muitas respostas que devemos ser nós mesmos a responder para nós próprios e não outros!

Boa sorte em suas buscas!

Fada do bosque disse...

É Daniel... tem toda a raz~zo. Tenho divulgado muito esse blogue "o fim da Democracia". É uma coisa assustadora e real. Não temos o mínimo de Liberdade de expressão e Pinto balsemão dono da Impresa e Bilderberg foi o fundador do Index ou lisyta negra para jornalistas em Portugal, pois foi também President of a European Publisher Council. Aproveitou o poder para impedir que o jornalista que esteja no Index seja impedido de arranjar emprego em toda a Europa.

A vigente ditadura:
"Já lá vão uns anos aquando do meu encontro com Oswald Le Winter (“Democracia e Secretismo”, Europa-América, 2002) em que este defendia, perante a minha incredulidade, que Portugal desde o 25 de Abril era o balão de ensaio dos poderes instalados a nível internacional, com a CIA à cabeça, para a futura ditadura mundial que aí vinha… já não ouso discordar, ao longo dos anos foram-se, democraticamente e em nome da igualdade, reduzindo tanto as liberdades que, embora poucos se apercebam, vivemos actualmente numa verdadeira ditadura e a perturbação do povo é praticamente nula.

E você, dia 5 vai votar nas listas da União Nacional (PS-PSD)?" Aqui neste blogue: http://admiravelmundonovo-1984.blogspot.com/

Fada do bosque disse...

Desculpe as gralhas... :) razão, lista.

Anônimo disse...

Excelso Daniel Simões,

Reparou que não respondeu à minha pergunta? Eu perguntei qual a ligação deste caso concreto (o editorial do expresso) a uma putativa conspiração para domínio do mundo (a tal nova ordem mundial). Perguntei ainda se tem provas (ou indícios) que sustentem esta ligação.

O único indício que apontou é "Pinto Balsemão (o sócio maioritário de uma empresa que é accionista da empresa que elabora o expresso) vai às reuniões do grupo Bilderberg". Isto é um indício circunstancial fraquíssimo. Sozinho não prova nada nem indicia nada.

Um exemplo para perceber porque é que não indicia nada: eu (e muitos milhares de portugueses) sou sócio do Benfica há muitos anos. Acha que alguma vez tomei alguma decisão só porque tal beneficiaria o clube do meu coração? Claro que não. Nos momentos em que tive de tomar decisões, a última coisa que me passou pela cabeça foi o Benfica.

E um último reparo em tom de amigável picardia: Quando manda alguém pesquisar um assunto sem antes o explicar, o que está a fazer é uma inversão do ónus da prova (e até um pouco de argumentum verbosium, também conhecido por prova por intimidação ou verbosidade). Tudo conhecidas falácias. Dito de uma forma simplista, como foi o Daniel a fazer as afirmações (da existência de uma relação entre o editorial do expresso e a nova ordem mundial), cabe-lhe a si sustentar a afirmação.

Fada do bosque disse...

Sabia Daniel Simões, que foram estes dois Bancos, o BPN e o BPP que levaram o País, melhor dizendo, a Direita a pedir "ajuda" externa ao FMI, BCE e CE?! Pois então leia este artigo de um jornalista que está no Index. O BCE tem como maiores accionistas outros Bancos Privados do mundo inteiro. Veja também este artigo.

Daniel Simões disse...

Caro anónimo,

apesar de as provas de que vivemos numa ditadura mundial serem imensas, se as pistas que lhe dei, mais os imensos links disponíveis no meu blogue e mais estes actuais links enviados pela comentarista "Fada do Bosque" não lhe servem de resposta, perdoe-me, mas não posso mudar a sua opinião: digamos que até certo ponto ainda me disponho a responder às questões que coloca, mas chega a um certo ponto em que é uma perca de tempo.

P. ex: se o Pinto Balsemão é o que é dentro da sociedade portugesa e se é membro permanente do grupo de Bilderberg (que em nada se pode comparar a ser sócio do Benfica, pela amor de Deus!!!) + tudo o que é exposto em www.ofimdademocracia.blogspot.com continua sendo = à sua incapacidade de reunir as peças soltas, não vou ser eu a fazer: é um trabalho demasiado complexo e longo para dedicar a alguém com um cepticismo e uma teimosia tão grande.

No entanto, continuo desejando-lhe o máximo de sucesso em suas pesquisas. Seria até interessante o cavalheiro criar um blogue e ir expondo o resultado das suas pesquisas de como não vivemos uma ditadura global e de como a criação de uma nova ordem mundial (tal como está sendo executada) é um benefício para a humanidade.

Bem haja!

Daniel Simões disse...

Grato, Helena, pelos esclarecedores links. Vou ver se ainda faço alguma coisa com eles.
E mais uma coisa: eu sou português mas moro em Fortaleza há pouco + de 5 anos!

Saúde e Sucesso

Anônimo disse...

Excelsa Fada do Bosque,

Os números contradizem-na. O buraco do BPN foi de "apenas" 4000 milhões de euros (nas piores estimativas, há quem diga que é menos). O buraco do BPP foi de 400-500 milhões de euros (e foi absorvido pela banca e não pelas finanças públicas). Já o défice público de 2010 foi 7.3% do PIB, ou seja cerca de 11 mil milhões de euros (o PIB são cerca de 230 mil milhões de dólares ou 160 mil milhões de euros). Ou seja, o BPN e o BPP juntos não somam metade do défice público.

Embora não tenham ajudado, o BPN e o BPP não são a causa do pedido de ajuda internacional. O problema português é muito mais antigo e tem causas muito mais profundas e complexas que a crise bancária. A crise bancária apenas pôs a nu os problemas da nossa economia.

Aquilo que levou o governo a precisar de auxílio exterior é o resultado de uma década de estagnação económica e de ininterrupto défice público, mais de duas décadas de contínua degradação do tecido produtivo industrial, de justiça ineficiente, de perda de competitividade, etc. Enfim, não há uma justificação simples, nem um único culpado para um problema tão complexo como o da nossa economia.

Fada do bosque disse...

Caro Anónimo,

Nisso tenho que concordar consigo... abusei da redundância, mas admito que este País pertence a uns poucos "donos" que fazem parte do Bloco Central. Os mesmos que governam o País desde o 25 de Abril e que arranjam forma de mais de 10 Partidos Políticos serem completamente ignorados pelo público. Nem sequer sei o nome de todos...
Não esquecer também a fatia das PPP no roubo aos dinheiros públicos...

Daniel Simões,
Por acaso pensei nisso, em ser português... pois o seu nome levou-me a pensar nisso. De qualquer forma, obrigada pela simpatia. :)
Deixo aqui a história da Telecinco a TV que nunca chegou a nascer.
Se procurar por etiquetas encontra muita matéria que foi escondida do público, a bem dos donos de Potugal!
http://blogda-se.blogspot.com/search/label/Telecinco

Anônimo disse...

Excelso Daniel Simões,

A uma inversão do ónus da prova com laivos de prova por intimidação, acaba de somar uma "cum hoc ergo propter hoc", também conhecida por correlação não implica causalidade (quando fala em Pinto Balsemão), e um homem de palha, também conhecido como falácia do espantalho (quando afirma que eu defendo a nova ordem mundial). Esta última também pode ser vista como um ataque ad-hominem.

Agradeço-lhe os votos que me faz e faço-lhe o simples apelo para que ponha as suas fontes à prova. Muna-se de uma lista de falácias e tente identificar as eventuais falácias que as suas fontes contenham. Não desanime se encontrar falácias aos molhos. Mesmo a pessoa mais versada em lógica recorre a falácias de vez em quando. Mas o ponto essencial é treinar a mente para a analisar a informação de forma critica.

Caso não tenha ainda reparado, eu não pugno pela verdade. A minha luta é pela racionalidade e pela honestidade intelectual.

Fada do bosque disse...

Daniel, por falar em BPP veja esta notícia:

http://economia.publico.pt/Noticia/clientes-do-bpp-preparam-providencia-cautelar-para-impedir-dissipacao-de-patrimonio_1368940