quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Samso - A Ilha Auto-suficiente em Energia não Poluente

O sonho de existirmos como uma civilização não-poluente já está a acontecer em Samso, uma ilha dinamarquesa. A solução existe, não precisa de destruir o meio ambiente, as culturas, etc... e só será colocada em prática se a humanidade como um todo despertar, principalmente aqueles que possuem o poder de investimento.

Danish Island Is Energy Self-Sufficient - o vídeo
http://www.cbsnews.com/stories/2007/03/08/eveningnews/main2549273.shtml

Samso: The energy self-sufficient island - a notícia
http://www.ngpowereu.com/news/samso-energy-self-sufficient/

Samso Energy Agency, SEA - a agência
http://www.seagency.dk/directions.html




Um comentário:

Anônimo disse...

É sem dúvida um feito notável.

Resta saber se a solução é escalável. Uma coisa é abastecer 4000 pessoas e quase nenhuma indústria, outra é abastecer milhares de milhões de indivíduos e indústrias de grande consumo energético.

O meu palpite é que isto não é escalável, visto que há uma forte dependência de biocombustíveis que requerem uma gigantesca área de cultivo (é preciso lembrar que a indústria humana que mais destrói o ambiente é a agricultura). Um outro problema da aplicação de biocombustíveis em larga escala é que iriam desviar terrenos que produzem alimentos para a produção de combustíveis, o que causaria a subida do preço dos alimentos e criaria graves fomes, sobretudo nos países mais pobres.

Devo dizer aínda que tenho muito apreço pelas turbinas offshore (embora isso não resolva os problemas de intermitência das turbinas eólicas), e acho que o futuro da eólica irá passar por aí.

É importante referir que a rede eléctrica da ilha de Samso não está isolada. A rede encontra-se interligada com a rede dinamarquesa (e europeia), e é esta interligação que dá estabilidade à ilha de Samso. Ou seja, eles resolvem o problema de terem demasiadas fontes intermitentes porque os vizinhos, têm muitas fontes não intermitentes que compensam a intermitência da produção em Samso. Mais uma vez, a solução de Samso não é aplicável em larga escala.

Resta também saber se os Dinamarqueses estão a fazer as contas como deve ser. Estão a contar com a energia gasta a fabricar e transportar os produtos que não são fabricados na ilha?